Sobre

Consultando alguns estudos realizados sobre os 50 anos do golpe civil-militar no Brasil (1964-2014), desenvolveu-se este trabalho no intuito de abordar esta temática na educação básica, a partir do uso de tecnologias de comunicação e informação. O mapa se divide em quatro categorias: locais de repressão, memória da repressão, locais de resistência e da memória da resistência. A metodologia utilizada para esse trabalho foi buscar esses pontos através de pesquisas em teses, reportagens e de um mapa físico que já possuía algumas localizações ligadas à ditadura. Após a seleção de locais, houve a produção do texto para cada um deles, acrescentando dicas de filmes, músicas, fotografias, livros, notícias, etc. O pressuposto é ensinar sobre a ditadura a partir da resistência e não como um elenco de ações dos presidentes militares, ampliando o foco que não fica mais restrito ao eixo Rio de Janeiro e São Paulo. Dessa forma o mapa tem como objetivo pensar a cidade de Porto Alegre no contexto da ditadura civil-militar brasileira, aproximando esse tema do cotidiano dos estudantes que por vezes transitam pela capital sem saber das diversas histórias que perpassam este espaço urbano. Portanto, é fundamental pensar a nossa cidade nesse período histórico e no presente, nas marcas e locais de disputa que podem ser vistos nas ruas, prédios e monumentos. O mapa se constitui em um recurso importante no auxílio aos professores para tratar de um tema sensível bem como para o conhecimento dos estudantes sobre o patrimônio e a memória da cidade de Porto Alegre.

Mapa produzido pela estudante Anita Natividade Carneiro de História Licenciatura da UFRGS.

2016